Feeds:
Posts
Comentários

Mozi, hoje é o nosso dia. Lembra dessa foto? São quatro anos de calor, quatro anos de amor, mil histórias para contar, centenas de emoções vividas nesse tempo todo. Hoje precisamos mesmo é celebrar, cantar e pular de alegria, satisfação, loucura… E nós sabemos que é difícil, mas com este amor que sentimos tudo é leve, nem tudo é fácil, mas tudo é possível.

Mozi, você é a paz que preciso para as guerras da vida, que não são poucas na situação que me encontro. Em meio ao stress, à falta de tempo e a correria para dar conta de tudo, em você encontro a calmaria e volto a pensar com clareza. É no seu porto que meu barco se recupera das tempestades enfrentadas.

Mozi, meu amor, você é mais do que algum dia sonhei ter na vida e hoje é tudo que quero para ser feliz. Você é o mundo onde só quero viver e de lá jamais sair. Obrigado pelo tempo juntos, por tanto aprendizado e por tanta dedicação. Se estamos aqui, é porque somos fortes, e porque nosso amor é muito maior que tudo. Num mundo onde é mais fácil desistir, persistir é motivo de orgulho!

Mozi, hoje completamos 4 anos de um relacionamento muito especial. Ainda é pouco tempo perto de tudo que ainda viveremos lado a lado, mas eu já posso dizer que esse casamento será o que sempre sonhei.

Te amo, te quero, te admiro, te adoro, te desejo, te apoio, te agradeço… ontem, hoje e sempre!

As duas janelas

Acontece assim, de a gente se perder e a neve cobrir os passos dados até aqui. Somos duas janelas por onde o sol não entra mais, quando fica escuro é alí que falta você. As mãos sobre o travesseiro e o seu olhar sobre mim. Estou te procurando lá distante quando percebo que de mim você viu o invisível.
Olha pra mim, se não estou te ouvindo, me ouça! Se estou em silêncio, fica aqui. Se todo o bem que eu te dei ainda existe, me desculpa? Se não te entendi, me ajuda! Estou aqui e por isso me abrace, porque vejo que ainda haja luz por essas duas janelas.
Conquistei tanto, e muito mais, mas entre as coisas que conquistei não encontrei refúgio, não encontro ainda… dizem que o destino sozinho se encarrega de curar as feridas, mas indo mais além daquilo que temos, diga se me ama e o por quê? DIGA A QUEM AMA O PORQUÊ!
Olha pra mim, se não estou te ouvindo, me ouça! Se estou em silêncio, fica aqui. Se todo o bem foi confirmado que ainda existe, me desculpa se não te entendi. Me ajuda? E se depois eu me perder, me abrace, porque eu ainda vejo luz naquelas duas janelas.
Mas são duas janelas frágeis. Sinto em meio ao pânico a sua ausência que me assombra. Você não sabe como é difícil perder-se entre as margens de uma cama onde não te encontro mais. Não mais.
Olha pra mim, se não estou te ouvindo, me ouça. Enquanto ainda houver silêncio, fique aqui. É uma noite complicada, entretanto, é somente nossa.
Desculpe-me! Se não te entendo, me ajuda? Estou aqui! Por isso, me abrace, ainda vejo luz entre essas duas janelas. Olha pra mim…
Se o amor é sempre amor, no fundo ele sempre irá resistir. Por que não me percebe?
Se estou te procurando, me escute. Estou aqui, então me abrace. Todo o bem que provamos, ainda existe!

(Baseado na música Le Due Finestre – Laura Pausini)

E olha eu aqui de novo! Desta vez com uma coisa diferente. Fiz uma tradução livre e adaptada da música La Soluzione (Laura Pausini), lançada no mês passado no CD Fatti Sentire. Acontece que as vezes pegamos uma música e, ao traduzirmos, ela não faz sentido nenhum no nosso idioma, então reescrevi em forma de texto, tentando ser o mais fiel possível, mas nem é esse o intuito. Quis adaptar à realidade que faz parte da minha vida, quem eu era, quem eu sou e quem eu serei. Virão outras músicas nesse formato. Se gostarem, deixem sua curtida! (isso também nunca fiz – pedir curtidas).

A Solução

Você estava entre toda aquela gente, com aquele ar de importante e era você que encheu meu céu de pipas e transformou em poesia as minhas muralhas.
Era você naquela noite que nos perdemos entre mil fases, contratempos e contra o tempo. Você nunca me reconheceria com os olhos que você tem agora, e mesmo assim, ainda hoje, me refiro a amanhã, para não pensar mais naquela época.

Mas não acredite naquilo que diz, que nos perdemos e que nosso tempo passou. Não acredite nisso!

Eu deixo um passado de fantasmas à procura de novos limites, mas nesta noite de verão um pouco de frio é preciso. Deixo meus medos irem embora com um sopro de vento, para poder te cobrir somente com meu silêncio, e eu já não distingo mais horizontes, universos ou destinos. Só sei que ainda é você a solução.

Era você naquela noite em que nos perguntamos se teríamos que terminar onde terminam todos os momentos, e entretanto, você sabe que vai mantê-los, mesmo que ainda hoje, eu me refira a amanhã. Mas não pense mais nisso!

Mas não acredito naquilo que diz, que este fogo diminuirá e se tornará apenas cinzas. Você mesmo não acredita nisso!

Eu deixo um passado de fantasmas à procura de novos limites, mas nesta noite de verão um pouco de frio é preciso. Deixo meus medos irem embora com um sopro de vento, para poder te cobrir somente com meu silêncio, e eu já não distingo mais horizontes, universos ou destinos. Só é você ainda a solução.

Com os olhos vermelhos daqueles que foram longe demais, ou talvez eu não me lembre de ter chorado, mas são recordações suas que tenho guardadas. É o meu amanhã!

Eu deixo um passado de fantasmas com o futuro pela frente, mas nesta noite de verão a vida será como precisamos. Agora eu sei que posso deixar meus medos nos ombros do tempo para reescrevermos na escuridão o nosso céu diferente. E eu não distingo mais horizontes, universos ou destinos. Mas ainda é você a solução. A solução. A solução!

Ser italiano é muito mais que ter um passaporte de cor grená, ou ter acesso à todos os países do mundo com mais facilidade. Ser italiano é ter o sangue quente, é falar alto e gesticulando. É ser emotivo e sistemático ao ponto de discutir com um filho abraçando-o.
Ser italiano é conhecer e amar a nossa cultura, o nosso jeito, a nossa arte, é gostar de coisas antigas e de ficar por horas admirando um monumento e imaginando todas as batalhas que se passaram ali durante séculos e há muito tempo antes de nós italianos mais jovens existirmos. Ser italiano é mais que amar uma pizza ou uma pasta al dente, é ter um jeito diferente de comer sem se preocupar com o que as outras pessoas possam pensar, porque o fato de sermos italianos nos inocenta de qualquer má impressão que possam ter dos nossos costumes. Ser italiano é se emocionar com as coisas mais simples do mundo, é ter os olhos molhados de lágrimas sem saber o porquê, é aceitar a lei do tempo e da vida que nos dá e nos tira a dádiva de viver, é envelhecer como um bom vinho e descansar à sombra de uma árvore contemplando o horizonte.
Ser italiano é discordar e questionar pelo nosso direito, é brigar pela justiça, é se comover com a dor e com o sofrimento alheio, ser italiano é estar condenado à sentir todo tipo de emoção e sentir as dores do mundo como se fossem nossas, é trazer para dentro de si a injustiça sofrida por outros, é gostar de festa, de dança, de barulho, de comilança, de crianças correndo e de gente chegando, essa é a saga de ser italiano, de carregar nas veias o sangue vermelho, como o vermelho vivo que está na bandeira da Itália e que o mundo todo se arrepia quando assiste a mesma tremular. 🇮🇹🇮🇹🇮🇹

(Texto de Braz Gardini)

O valor do homem

Recebi esse texto por WhatsApp, que diz ser de autoria da Dra. Maria Isabel Barillas De Golstein. Achei interessante…

Quem é O HOMEM?

Um homem é a parte mais bonita da criação de DEUS.

Ele sacrifica seus sonhos por só um sorriso na cara de seus pais.

Ele gasta o dinheiro de seu bolso nos presentes da mulher que ama, só para vê-la sorrir.

Ele sacrifica sua juventude inteira para sua esposa e filhos trabalhando até tarde sem se queixar.

Ele constrói o futuro de seus entes queridos tomando empréstimos de bancos pagando-os pelo resto de sua vida.

Ele luta muito e todavía tem que aguentar as reclamações e gritos de sua esposa, seus filhos, seu chefe e sua mãe, por ser um compromisso pela felicidade dos demais.

Se ele sai, é descuidado.

Se ficar, é preguiçoso.

Se repreende, é um monstro.

Se não os repreende, é irresponsável.

Se não deixa que sua esposa trabalhe, é inseguro e dominador.

Se a deixa trabalhar, é um sustentado e mantido.

Se escuta a mamãe, é filhinho mimado.

Se escuta a sua esposa, é submisso.

Se cai em tentação é um mulherengo, mas se resiste, é um marica.

Respeite a todos os homens que você conhece na vida, pois eles são heróis anônimos.

Você nunca saberá o quanto ele tem se sacrificado por ti.

*Vale a pena enviar a cada homem para fazê-lo sorrir, e para cada mulher para ela entender o valor que ele tem!!!*

Saudade

Depois de algum tempo (muito mesmo), estou de volta hoje! Quase como se fosse um encontro do AA: “Apenas hoje…”.

Saudade.

O que significa? Fiquei pensando depois de um longo momento.

Me ensinaram que saudade é quando sentimos falta de alguém que foi viajar;

Mais tarde, aprendi que saudade é nunca mais poder dizer “te amo” a uma pessoa querida;

Por fim, descobri que saudade é quando você quer muito algo que não pode mais ter naquele momento;

Digo isso porque tem tanta coisa que eu queria de novo e sei que é impossível. Um beijo, um abraço, um carinho de uma pessoa especial. Apenas o olhar no olho, janela da alma, momento em que elas (as almas) se encontram. Não há mentiras, não há dúvidas, não há medo, não há receio… Apenas existe o tempo, imóvel, para que a comunicação seja mais profunda e sincera, e um simples momento se torne eterno em nossas memórias.

Um cheiro, um cafuné, um lugar, um sorriso, uma conversa, um passeio na pracinha.

Saudade é o relógio descompassado. Tac tic tac tic… Levando embora aquele momento bom.

Mas a saudade é também um trem que chega na estação trazendo novidades. Traz consigo toda a carga de emoção doce e pura que sentimos como se fosse na primeira vez. É aquela fruta que a gente comeu e jamais esqueceu seu sabor.

Saudade: o vidro que separa o presente ruim do passado bom, que faz você chorar ou sorrir, lembrar ou reviver.

Saudade é o resquício do tempo que ficou, distante ou perto, mas eterno!

Estamos com fome de amor

Uma vez Renato Russo disse com uma sabedoria ímpar: “Digam o que disserem, o mal do século é a solidão”. Pretensiosamente digo que assino embaixo sem dúvida alguma. Parem pra notar, os sinais estão batendo em nossa cara todos os dias.

Baladas recheadas de garotas lindas, com roupas cada vez mais micros e transparentes, danças e poses em closes ginecológicos, chegam sozinhas. E saem sozinhas. Empresários, advogados, engenheiros que estudaram, trabalharam, alcançaram sucesso profissional e, sozinhos.

Tem mulher contratando homem para dançar com elas em bailes, os novíssimos “personal dance”, incrível. E não é só sexo não, se fosse, era resolvido fácil, alguém duvida?

Estamos é com carência de passear de mãos dadas, dar e receber carinho sem necessariamente ter que depois mostrar performances dignas de um atleta olímpico, fazer um jantar pra quem você gosta e depois saber que vão “apenas” dormir abraçados, sabe, essas coisas simples que perdemos nessa marcha de uma evolução cega.

Pode fazer tudo, desde que não interrompa a carreira, a produção. Tornamos-nos máquinas e agora estamos desesperados por não saber como voltar a “sentir”, só isso, algo tão simples que a cada dia fica tão distante de nós.

Quem duvida do que estou dizendo, dá uma olhada no site de relacionamentos Orkut, o número que comunidades como: “Quero um amor pra vida toda!”, “Eu sou pra casar!” até a desesperançada “Nasci pra ser sozinho!”.

Unindo milhares, ou melhor, milhões de solitários em meio a uma multidão de rostos cada vez mais estranhos, plásticos, quase etéreos e inacessíveis.

Vivemos cada vez mais tempo, retardamos o envelhecimento e estamos a cada dia mais belos e mais sozinhos. Sei que estou parecendo o solteirão infeliz, mas pelo contrário, pra chegar a escrever essas bobagens (mais que verdadeiras) é preciso encarar os fantasmas de frente e aceitar essa verdade de cara limpa. Todo mundo quer ter alguém ao seu lado, mas hoje em dia é feio, démodé, brega.

Alô gente! Felicidade, amor, todas essas emoções nos fazem parecer ridículos, abobalhados, e daí? Seja ridículo, não seja frustrado, “pague mico”, saia gritando e falando bobagens, você vai descobrir mais cedo ou mais tarde que o tempo pra ser feliz é curto, e cada instante que vai embora não volta.

Mais (estou muito brega!), aquela pessoa que passou hoje por você na rua, talvez nunca mais volte a vê-la, quem sabe ali estivesse a oportunidade de um sorriso a dois.

Quem disse que ser adulto é ser ranzinza? Um ditado tibetano diz que se um problema é grande demais, não pense nele e se ele é pequeno demais, pra quê pensar nele. Dá pra ser um homem de negócios e tomar iogurte com o dedo ou uma advogada de sucesso que adora rir de si mesma por ser estabanada; o que realmente não dá é continuarmos achando que viver é out, que o vento não pode desmanchar o nosso cabelo ou que eu não posso me aventurar a dizer pra alguém: “vamos ter bons e maus momentos e uma hora ou outra, um dos dois ou quem sabe os dois, vão querer pular fora, mas se eu não pedir que fique comigo, tenho certeza de que vou me arrepender pelo resto da vida”.

Antes idiota que infeliz!

%d blogueiros gostam disto: