Feeds:
Posts
Comentários

Archive for março \29\UTC 2016

Onde errei?

Garoto-triste-e-apaixonadoA verdade é que me distanciei de Deus. Sim. Falo isso como um moribundo pedindo clemência aos céus na hora da morte. Onde errei?

São tantos motivos. Erros incalculáveis, inconscientes, conscientes… Sou apenas um ser humano que não sabe o rumo que tomará na próxima hora, brincando de saber de tudo e sabendo pouco ou nada.

Tenho sonhos, planos, fantasias e não consegui realizar nem metade da metade do que eu gostaria. Queria andar na neve principalmente. Deitar-me sobre o gelo, diminuir a temperatura corporal e deixar a imaginação me levar pra longe. A mudança climática age sobre mim de uma forma que não sei explicar. As fases da lua, talvez? Gosto do frio do outono, período que fico refletindo enquanto me preparo para o inverno.

Não sou a pessoa mais saudosista que existe, mas sinto falta de coisas que nunca vivi. Sinto muita falta… Coisas que nunca tive são as recordações mais marcantes. E por quê?

Desde muito cedo experimentei a dor, a ausência, a falta, a saudade… conheci o desespero, a ira, a solidão… Estive lado a lado com a vida me mostrando caminhos que me levariam a lugar nenhum, e não soube evitar. Tomei caminhos errados, mas que me ensinaram algumas coisas. Me ensinaram a dar valor a tudo, principalmente ao que não tive ou ao que desperdicei.

Se isso for um jogo de dados, onde há um perdedor, aí me encontro! Mas por que? Onde errei? Não desisto fácil das coisas, muito menos das pessoas, mas uma hora devemos nos contentar com o que nos restou. Se tiver um prêmio de consolação, que seja o perdão das pessoas que cruzaram o meu caminho, e que eu feri de alguma forma. Caso contrário, o que me sobra?

Quem sou? Onde estou? O que faço? Para onde vou? Não há resposta para nada disso, e na verdade, nem me importa, exceto a resposta para a pergunta: ONDE ERREI?

Read Full Post »

Hoje vou postar um texto que traduzi e adaptei para o nosso site. Queria ter escrito esse texto, porque define exatamente o que eu vivo! Me faz pensar, refletir, inclusive, sobre o que é ser feliz! Eu não sou feliz… não aqui em casa, não com essa família tóxica.

 

famc3adliaTodos temos uma família, nascemos em um núcleo que previamente elegemos, mas não somos conscientes do “prêmio” até que seja tarde demais. Uns tem a sorte de encontrar na família o seu apoio e seu guia, e outros tem neles seus piores inimigos. Se você tem a sorte de ter uma família tranquila e utópica, é provável que não se identifique, ou não possa discernir o que é uma família tóxica. Qualquer outro que tenha se chocado com algum membro do seu núcleo familiar, que também é mais comum do que parece, sabe o que é ter várias brechas abertas com cada um dos membros da sua família. Estes seres com quem você se juntou num laço apertado, a quem você está unido por um vínculo inquebrável de sangue, pode fazer da sua casa um pandemônio autêntico (como é na minha), um inferno comprimido e asfixiante, em que nenhuma penitência parece aliviar seu sofrimento.

A menos que seja uma pessoa de mente aberta, você pode até pensar que carrega um karma e que o relacionamento doloroso que você tem com seus entes queridos é uma forma de purgar todo esse equilíbrio cármico que você carrega com você de outras encarnações. Você pode até pensar que você merece isso de alguma forma, a chantagem emocional, a indiferença, e o distanciamento que projetam em você, podem fazer você pensar que é o culpado e que, o que te acontece, você realmente merece. Você sofre porque você é o mau, e seu ambiente te lembra a cada minuto disso.

O normal em muitas famílias é que quando há um membro que prova ser capaz de seguir sozinho, independente e bem resolvido com o entorno, um ser que agarra firmemente o volante e se guia pela vida onde se propõe, termina despertando a raiva e a inveja mais feroz de seus pais. Um passarinho que não precisa de lições para levantar voo, é um ingrato e merece rejeição absoluta. Como regra geral, os pais não recebem com agrado a ideia de que um filho possa instruir e dar exemplo. Eles, ou não souberam, ou não tiveram a coragem de concentrar as suas vidas da maneira que conceberam e irracionalmente desprezam sua prole para conseguir o que eles não são ousaram empreender.

Utilizar essa situação angustiante que massacra sua família em proveito próprio talvez seja a maneira que exista para que se veja obrigado a tomar seu caminho sozinho. Uma família opressiva e castradora é o impulso que você necessita para sair e encontrar a si mesmo. Você vai encontrar indiferença e rejeição. Isso é normal, mas este será o último empurrão que precisa. Tome um rumo diferente do que te deu a vida até agora, nesse tipo de loop sem final e sem objetivos, para se desenvolver, encontrar seus verdadeiros dons, desenvolvê-los e aperfeiçoá-los. Torne-se por si mesmo um ser completamente novo com uma bagagem ampla e experiências que te façam crescer e evoluir.

Ficar calcificado nesse lugar que dizem ser o melhor, porque a instituição familiar diz que a tradição e o orgulho é o que o identifica, o que o define e o diferencia, que os laços de sangue devem permanecer unidos e serem uma rocha, é bobagem, afinal, você não se identifica com nada disso. Sair e enfrentar o mundo sozinho é a forma não só de fuga, mas para que você saiba quem você é e o que você é capaz de fazer. Isso só se aprende com a experiência e sozinho! Se não errar de novo e de novo, você nunca aprenderá e essa jornada pela vida será como nada em sua caixinha de lembranças e experiências.

Com o passar do tempo, e uma vez que amadureceu e repousou sua vida no conhecimento e experimenta viver de acordo com suas próprias decisões, pode ser que quando volte para casa será tudo diferente, e a vida lhe deu as ferramentas para lidar com essas pessoas fechadas, e você pode retomar essa relação, construí-la com outros laços diferentes. Na pior das hipóteses, você vai notar que pouco ou nada mudou e agradecerá o dia e o momento em que você decidiu sair de casa e encontrar o seu lugar no mundo.

Não devemos nos forçar a ficar ao lado de quem nos fere. Não devemos cair em falsas chantagens, amor com benefícios e sentimentos de posse. Ninguém, por maior que seja a quantidade de sangue que você tenha dela nas veias, tem mais autoridade sobre você do que você mesmo, e é claro, ninguém te conhece melhor do que você mesmo. A sua intuição, seu julgamento e seu senso comum devem ser a bússola que te guiará na direção certa. Não tenha medo do erro, já que graças a ele, você se tornará uma pessoa melhor, forjará seu caráter e enriquecerá a sua personalidade. Permanecer encarcerado em um relacionamento tóxico apenas pelo laço que te une a eles evitará que se desprendam as asas do seu autoconhecimento e que voe para horizontes de autoconhecimento, onde a sabedoria e a experiência esperam por você de braços abertos.

Se, pelo contrário, você tem a sorte de desfrutar de uma família que te enriquece e te dá apoio no conhecimento, aproveite seu prêmio, uma vez que a necessidade de expandir seus horizontes talvez não lhe pareçam ou não sejam tão atraentes. Devemos permanecer ao lado de todos aqueles que nos enriquecem e nos tornam melhores, e devemos nos afastar daqueles que nos fazem reincidir no nosso pior defeito, que nos obrigam a tropeçar vez ou outra com nosso ego e que nos limitam a expansão mental e social. Nunca devemos nos arrepender do que fizemos! Por piores que tenham sido nossas ações, por mais traumática que possam ter sido nossas experiencias, será sempre melhor ter feito errado do que nem ao menos ter tentado.

Não importa o quão tóxico seja o seu ambiente familiar. Se este ambiente te empurrar para fora de casa, para encontrar o seu canto no mundo, você não pode e não deve fazer mais do que agradecê-los. Eles involuntariamente te ajudaram a encontrar o caminho para fora do mar de caos e dúvidas em que você se encontrava, e que deu um novo significado à sua vida, além de ajudá-lo a desenvolver seus próprios dons, para se tornar este instrumento perfeitamente afinado que está em você: é uma grande recompensa! Agradeça a todos que te oprimiam, já que sem essa negatividade, você não teria encontrado a sua positividade. Graças a essas trevas é que você encontrou o caminho para acender a sua luz e iluminar seu caminho.

 

Texto original em espanhol no site: http://www.lacosechadealmas.blogspot.com.br/2014/07/familia-toxica-el-enemigo-en-casa.html#sthash.qJO9XTNO.dpuf

Read Full Post »

%d blogueiros gostam disto: